Menu

Dom Orani celebra 50 anos de profissão monástica

02 FEV 2019
02 de Fevereiro de 2019


O arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, celebra hoje o jubileu dos 50 anos de profissão monástica, na Ordem Cisterciense. Na parte da manhã, presidiu a Santa Missa na Catedral de São Sebastião, no Rio, e à noite, presidirá a Missa de Ação de Graça, na Paróquia São Roque, em São José do Rio Pardo, no interior do Estado de São Paulo, onde ele foi coroinha, catequista, vigário paroquial e pároco.

 

A paróquia fica anexa ao prédio do mosteiro cisterciense de Nossa Senhora de São Bernardo, onde Dom Orani ingressou, fez os votos e, como monge, foi vice-prior, prior e abade, quando o mosteiro se tornou abadia.

 

Monge

 

Em janeiro de 1968, cinco dias antes da criação da Paróquia de São Roque, na Vila Pereira, em São José do Rio Pardo, o jovem Orani ingressou no mosteiro, e um ano mais tarde, em 1969, emitia seu votos simples, para viver na pobreza, na obediência e na castidade, numa opção pelo seguimento radical de Jesus Cristo, através de uma vida de oração e serviço. “Sempre, desde pequeno, Orani pensava na vida consagrada, começando pela consagração monástica. Ele é verdadeiramente um homem de Deus”, declarou a irmã Ondina Tempesta.

 

Nessa época, ele distinguia-se pela simplicidade e disponibilidade em servir, ou, como descreveu o então abade presidente da congregação: “Dom Orani sempre se distinguiu pelas suas preciosas qualidades humanas, intelectuais, espirituais e pastorais, pelo seu amor à congregação e pelo amor que sempre manifestou à sua consagração monástica”.

 

Profissão solene

 

Sua profissão solene aconteceu em 1972, numa celebração presidida pelo então abate presidente, Dom Giovanni Rosavini. Alguns anos mais tarde, em 1994, Dom Giovanni retornaria ao Brasil para presidir os 25 anos de ordenação sacerdotal de Dom Orani.

No mosteiro, ele exerceu o cargo de vice-prior durante 10 anos. Em 1984, foi nomeado prior pelo Capítulo da Congregação em Roma, tendo permanecido até sua elevação a abade, em 1996.

“Durante seu priorado, a comunidade aumentou muito em números, espiritualidade, fraternidade e perseverança”, contou o padre cisterciense Paulo Celso Demartini, atual pároco da Paróquia de São Roque.

 

Noviciado

 

Depois de fazer o noviciado em Itaporanga (SP), foi para a capital paulista onde cursou filosofia no Mosteiro São Bento, e também teologia. Adquiriu licença em filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del-Rei (MG). Tem ainda o título de bacharel em teologia pelo Pontifício Ateneu Salesiano, e certificado de vários outros cursos.

 

Pároco

 

Pelo bispo diocesano de São João da Boa Vista (SP), Dom Tómas Vaquero, o monge Orani foi ordenado diácono no dia 25 de março de 1974, e no dia 7 de dezembro do mesmo ano, recebeu o presbiterato.

“Conheci Orani quando ele era padre com poucos anos de ordenação, e eu participava de movimentos em minha paróquia natal. Já nessa época, o zelo pastoral, o espírito missionário e sua disponibilidade em servir eram suas características mais marcantes”, contou o amigo, padre João Paulo Ferreira Ielo, atual pároco da Paróquia Imaculada Conceição, em Mogi-Guaçu (SP).

 

Em São José do Rio Pardo, Dom Orani foi capelão do Hospital São Vicente e das casas religiosas da cidade; responsável pelas comunidades rurais e ajudou na construção de várias capelas vinculadas à paróquia.

 

“Tive a alegria de conhecer Dom Orani desde quando ingressou na família cisterciense, em 1968. Tive a honra de preparar sua ordenação diaconal e presbiteral na Paróquia de São Roque. Sempre preocupados com a evangelização do povo, fazíamos junto programas radiofônicos ao vivo, e caminhamos juntos com o mesmo povo na redescoberta maravilhosa da nossa fé cristã, evangelizando a nós mesmos para melhor evangelizar os outros”, contou o irmão de congregação, Agostinho Romano Zacchetti, que foi predecessor de Dom Orani na paróquia.

 

Bispo

 

Dom Orani era pároco e abade quando em 1997, foi eleito bispo diocesano de São José do Rio Preto (SP). Seu ministério continuou como arcebispo de Belém do Pará, a partir de 8 de dezembro de 2004, e no dia 19 de abril de 2009 assumiu a arquidiocese carioca. Em 22 de fevereiro de 2014, foi elevado ao cardinalato pelo Papa Francisco, recebendo o título de Cardeal-presbítero de Santa Maria Mãe da Providência, no Monte Verde.

 

FONTE: ARQRIO

Voltar